quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Tantácua

Tant'ácqua, man!
A quoi ça sert?

Age of Acquarius
Pinto molhado
Pobre na chuva

Tusso. Fervo. Camo.
"Quem não sai na chuva não aprende a se molhar" não tá com nada!
Ôô! Não tá com nada!

"Gahbi, vem aqui!"
Põe o dedo aqui, que já vai fechar!
Noé só leva dois de cada!

81 dias... À la fenetre

Il faut faire face a tout ça
Ne m'efface pas!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

82 dias...Conjunção Astral

Sinto falta do congresso,
Côncavos e convexos,

Curvilíneas nos sentidos todos!
Projeções empolgadas de verticalidade!


Tensa e tesa intermitência,

Quando me terás de regresso?!

sábado, 25 de setembro de 2010

Por pura pista



E no hino do educandário
Em mim talhado, infantil coração
Reluzia ali, destacado
Refulgente entre o mito cristão:

E na vida a mais bela atitude É a de quem traz o livro na mão

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

ainda 88 dias...

Passados os rios, bravios ou não
Passados os rios, baldos, eu rio
Passado o passado, tanto faz se recente
Passado o que passado bem rente
O melhor do passado é não o termos presente!

domingo, 19 de setembro de 2010

Forró só deitado.


Disse que sua religião só permitia o forró para fins reprodutivos, com o que logo concordei, por não me parecer que ficava bem para uma moça de família amassar bombril por aí. Isso de dirty dancing não se pode não, senhor!
Desse inteligente que inventou o forró não sei coisa alguma. A não ser que deve ter sido europeu, que dizem que lá andam meio carecidos de população.... Ou só um cabra precisado de encoxada...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

95 dias.... I've got you under my skin

Algo impele em mim
imder-me, hiperderme!
Impõe-se-me

Deixa-se estar cá dentro!
Deixa-me estar qu'adentro.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

100 dias...

JUST
DON'T
QUIT!

Festas e recepções de escasso... interesse.

Nesta vida, não raro, somos confrontados com contextos sociais em que nos vemos obrigados ao diálogo com pessoas que não nos foram destinadas como pares, algumas das quais indispostas à fala, havendo ainda aquela sempre misteriosa parcela incapaz até do silencioso monólogo interior. Fácil ver que para alguns desses casos não há solução. Para os outros, compartilho minha regra de ouro:
Se não entrevê real conexão, entreviste.
Ah, eu e minhas salvadoras mariliagabrielices.
ps: Entrevistas, também as há nutridas pelo real interesse de aprofundamento, bem entendido.

"...'cause silence isn't golden when I'm holding it inside!"

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Rebolar não é de Deus!


Acabo de voltar do cinema, onde assisti a mais uma produção nacional (à parte aqueles filmes adolescentes visivel e irresistivelmente péssimos, eu tenho o sestro de assistir às sessões tupiniquins): "Nosso Lar".

Talvez vocês já o tenham visto. O filme é baseado no livro homônimo, ditado (é assim que se diz?) pelo espírito André Luis ao médium mineiro Chico Xavier, e, segundo me disseram, já é um fenômeno de bilheteria. O meu testemunho é no sentido da probabilidade disso, afinal, em plena última sessão de domingo, nós tomamos assento na primeira fila, ficando, portanto, muito gratos por se tratar de filme sem legendas (vale lembrar , do alto de minha experiência cinéfila, que aos domingos costumam ser mais procuradas as sessões das 17 e das 19 horas).

Como diria o impagável Oswaldo Montenegro, não era isso que eu queria dizer! O que quero dizer é que, a partir do filme, reafirmo algumas constatações e intuições. Quem comigo tem discutido, nos últimos anos, os produtos da cultura, já me deve ter ouvido proferir o seguinte julgamento: A música de Bach, Beethoveen e Mozart é tão bom indício da existência de Deus quanto o são as quedas d'água, as borboletas, e a própria primavera.

Segundo o mostrado no filme, no nosso lar, uma das muitas "cidades celestiais" que pairam sobre nosso terreno plano, sempre se podem ouvir concertos de música erudita em belos jardins, à maneira das praças portenhas. Outro ponto muito importante, e que muito me imbuiu da vontade de ser cada vez melhor, para lá ter merecida a entrada, é que não há vestígio de pagode, forró, arrocha (se assim se grafa) ou coisas do gênero. Ah, e todos estão sempre assentados para o desfrute do sublime; não se dança! Viram só: Dança não é de Deus! E não me chamem mais de negação! A negação está no rebolation!

Fiquem com Deus!


sábado, 4 de setembro de 2010

106 dias....



Opening your heart is key to a better life!

"...so take me to the other side..." of the Atlantic!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010