terça-feira, 30 de março de 2010

segunda-feira, 29 de março de 2010

WHAT LIES AHEAD IS... YOU!

DEAD IS THE FUTURE...
WHO CARES?
NO MATTER WHAT YOU DO
"DEAD" IS THE FUTURE!


domingo, 28 de março de 2010

Porque metade do ano é do caçador, e a outra metade... também!

Era uma casa-nada, nada engraçada, não tinha porta, não tinha nada. Engendrou um adesivo e guardou a ideia para os dias em que o pudesse mandar fazer, para os dias em que pudesse mandar, para os dias em que tivesse vidros em que o colar. Mas talvez nesses dias já não o quisesse colar, talvez nesses dias já comprasse colares prontos. Lia-se:

DEUS É FEL!

Dizem que quem não os pode vencer deve-se juntar a eles. Não tem a senha? Não tem acesso? Vive do lado de fora da "Ordem e Progresso"? Não pode ser caçador?! Use a língua, que te assiste, fá-lo cassa-dor. Casse a própria!



quinta-feira, 25 de março de 2010

terça-feira, 23 de março de 2010

Regressão Alfabética, Progressão Vital


Outro dia, na aula de estudos do léxico, a professora fazia considerações acerca das mutações dos significados das palavras, delas sob outros aspectos, e coisas tais. Malhava os dicionários por não as levarem em conta. O verbo "surgir", por exemplo, continuaria sendo apresentado, em primeira acepção, como "lançar âncora". Visto o Aurélio, meu bom amigo, quase: chegar por via marítima, coisa e tal...
Em meio à malhação dos dicionários, lembrou-se do nosso bom "malhar", cujo uso mais comum já foi aquele de, por exemplo, "malhar o Judas", fustigá-lo! ASsim, o verbo "malhar" estava diretamente relacionado ao sofrimento.


Amanheci na academia, essa mesmo, com "a" minúsculo. Bati cartão às seis e meia! Alongamentos, pedidos de ajuda ao instrutor na decifração dos nomes em exercícios, abdominais, esteira... Oito e quinze já estava na rua, cara! Muito bem disposto, orgulhoso de mim mesmo ("se você acordar às seis pra ir malhar você merece o que quiser!", né, Xoxim!) e, sobretudo, esperançoso. Já me vejo convertido de night owl em morning lark. Por falar em conversões e apóstolos: Entrei Saulo e saí Paulo! E aqui vai esta Epístola eletrônica, conclamando-os todos à malhação,! (Não, não aceitei nenhum chá lá!)


Nem sofri tanto: a rádio tava nos programas do baú, com músicas pop dos anos noventa, sem a ladainha dance. Havia garotas bonitas, e (olha frangão!:) coroas bonitas, de trinta adiante, haha! Até vi o jornal! Só assim, né! Tem formas melhores de se alienar!


Acho que minha vida adulta pós-universitária vai-se dividir em AB'sA's/ DB'sA's. É!: antes e depois de Buenos Aires-2010, com seu senhor Nilton e suas orgias gastronomicas. É, amigo, quando suas calças não fecham, isso é melhor incentivo que quaisquer palavras! E olha que eu sou um cultor, um crente do poder das palavras! Mas estou aqui, também, para agradecer à senhorita Izabela Brant, que malhou minha silhueta, e a quem me deu 22 Libras de incentivo, dizendo do desperdício de uma suposta forte compleição (I'm working it out!)

Espero voltar a este meu espaço em alguns meses e agradecer à academia (aí fica até maiúsculo seu "a", hein!) algum milagre de sumiço do efeito dos pães!

Progresso? Progressão! Haha! Veremos! E nem tive que parar de pensar!

E, desta vez, com a mesma canção de 2003, vou cantá-la sentida, em vez de só a assobiar, né! Dá-lhe!




sábado, 20 de março de 2010

QUADRA UM - Cá-mi-dói? "No,no,no, por favor!"

Já nos dizia o habitualmente hirsuto irmão do dromedário, no seu jeito cantado de nos falar: "quem sempre quer vitória perde a glória de chorar." Mesmo o síndico, quando filosofava, sabia disso, que "um nasce pra chorar enquanto o outro ri."
Na minha aula franco-matinal de hoje, a mestra nos dizia disso, sabe lá deus por quê! Essa coisa de hoje, das pessoas não suportarem alguma tristeza, de acharem que devem viver em puro êxtase. Daí a glória dos prozacs da vida, e a histeria química juvenil. CAra, não é assim, não! Já dizia aqule bom jovem estadunidense (aguardado em novembro!) a sua amada "I need you like the poets need the pain, like the flowers need the rain." É como na camiseta da bandinha biririzontina, "rainy days will happen", man! Em bomgauchês (posteriormente anglogarymayzado...) "Vai chover, vai secar, serão águas passadas". Lembra do poetinha? "Pra fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza, é preciso um bocado de tristeza, senão não se faz um samba não!"
E tem outra, linguistando um pouco (Saussure for agora!): as coisas só são o que são porque não são o que não são!
Quem sabe rainy days will happy?!
BUT DON'T GET CARRIED AWAY!







quinta-feira, 18 de março de 2010

quarta-feira, 17 de março de 2010

CA FÉ NÃO COSTUMA FAIÁ! - Vida na Zona

Cá não me atendia Mi linha; lá, no Sabarabuçu, a fadiga se enSINOava. É difícil manter os olhos à ocidental quando não se dormiu tanto assim na véspera! Desisto! Vou ter que andar CA FÉ de que não podemos prescindir, just to get through the day! "Break on through...." The day destroys the night? The night sure destroyed my day! Mayday! M'aidez! Me dê... a mão! Na mão? Putz!
É andar as ruas da vila, adentrar a Paderas, voltar andando CA FÉ, CA FÉ não costuma faiá! Não me ofendo, fendo-o, o pão. Manteiga, bocão! Entra o Vicente.
- Vicente, tenho de ir pra casa, cara! Dormir sonim!
- O governo não gosta de descanso, o governo gosta é de que trabalhem. Por isso o "nem" do aposentado! Eles não querem que você viva muito depois de parar, não, sabe!
-Uai, cara! É meio que isso! Que se fodam! Compensa muito entrar na dança depois que (essa) música parou!
-Quê?! Por isso que nunca vou tomar essas vacinas de gripe e não sei o quê pra terceira idade! Por quê só vacinam os velhos, hein?!
-Quê!? Uai, cara! Why?


BEEsyU

If you're BEEsy
I'll be free (,) honey!




domingo, 14 de março de 2010

TIROS PERFUMADOS - BEAGÁ ROCK CITY!

"...uma noite que não terminará antes do sol nascer!"
O vaticínio era o da paixão tricolor trilegal rumo à conquista do mundo, em 1983, mas bem que serviria para a nossa expectativa em torno do fenômeno star-spangled que um dia não sonhamos ver em Biririzonte!

A festa que fizemos quando nos anunciaram o carnaval nos vindo a toda do fim do túnel já foi assunto de outros posts! O carnaval veio! Veio, viu, venceu, ainda os mais reticentes!

A noite começou com um repeteco. Mr. Sebastian Bach, que já passara por aqui triunfalmente em 1992, veio rever-nos! Naquela ocasião a passagem biririzontina do Skid Row foi objeto de um Home Video. Nele, vemos Sebastian e trupe saindo de ônibus de um hotel no centro de Belo Horizonte, tentando vencer a multidão que cercava o veículo, que ia em direção a Ouro Preto! "When we get home we're gonna tell everybody we've been to a town called BLACK GOLD!" E há mesmo as imagens dos caras a se impressionarem com o quão íngremes as ladeiras eram por ali! Enough from the past!

Entra o vara-pau: "Estive aqui vinte anos atrás. ESperei vinte anos pra dizer "Here I Am", e desce o cacete com o antigo hit. E estava mesmo lá, corpo e alma, e arrebatou o mineirinho, com sua gritaria e seus ademanes. We don't need no crystal ball to see he's got it all!!!


E teve "18 and life", e teve "Monkey Business" e teve muita coisa, mas eis que chega a hora de relembrar o hit supremo das festinhas dançantes dos anos de 1990, quando, aliviados, trocávamos uma vassoura pela guria bonita da turma. "Below Rorizontê! Vamos cantar!" Surpresa!: Tião é do Brasil! Uma carinhosa fã presenteou o canadense com a camisa do Brasil em que se lia o apelido que teria, fosse tupiniquim: "Tião!" E a galera não teve dúvidas: "Tião! Tião! Tião!". E we said "you love you, babe" with lots of sounds! We remembered yesterday, with all its sleepless nights and endless days of fun! And you kept the promise you made, Tião: "I swear you'll never be lonely!" E, ao fim: "I remember you, Below Rorizontê!" E já manda a galera ler a sua tattoo, em introdução do fim do show, da saideira...





....mas o pessoal não lê a contento! Nova tentativa! Insatisfatória! "You guys are too tired, man?" Shirt off! "Below Rorizontê!" e senta o pau! E todos cantam, "desafinando do coro dos contentes", o hino dos desajustados juvenis! E há ainda um pouco em cada um de nós!





E Tião deixa o palco, ovacionado! O cara é foda, consenso! Houve quem terminasse o show decidido a obter a discografia do Skid Row, ne, Ju! Ózzimo! Agora era hora de sofrer horas à espera de Mr. Axl Rose, o homem que chegaria atrasado a seu próprio enterro, que nos deixou sofrendo por séculos a triste memória do "show" do Oasis no Rock in Rio 3, mas que nos pagou os devidos juros, juro!

Para nossa agradável surpresa, depois de uma rápida revelação do até então recôndito palco gunner, apagam-se as luzes! Teste? Pode que seja! O Axl não entraria tão cedo! Acendem-se os telões, vem o logo! Tudo vermelho! China? Inferno? Coração! Sobe o simpático guitarrista, DJ-whatshisface, que atrairia muito a simpatia do público ao longo do concerto. Vem a introdução de "Chinese Democracy", a galera delira, explode o palco, inflama-se o público, irrompe, Mr. Bill, A.k.A. Axl Rose!





Segunda canção e, sem mais delongas, o talvez mais esperado momento: "Do you know where you are?!", sem o previsto "..., Below Rorizontê!?" Desligo a câmera, tenho de pular pra caralho!





Eis que vai ao chão o estranho blazer e o estranhamento começa a dar lugar ao reconhecimento do super-herói da adolescência; vêm à tona as tatuagens, as que nos impuseram o modelo de tatuagens "cada uma no seu quadrado", braços afora, sem continuidade, sem tomar pescoços, pá e tal! É o cara! E vem "Rocket Queen", com o melhor epílogo do hard rock! Tive de gravar! Axl is very much alive, fuckers! Pros que só souberam implicar com a decadência vocal do cara, eis aqui o quanto o cara soube dedicar-se quando convinha! Ficou tal qual, cara! Voltei no tempo! Toma aí!:





Don't ever leave us! Say you'll always be there! E ele, "All I ever wanted was for you to know that I care!" And he made his point!

Como em 2001, o Guns ainda se faz acompanhar de Beta, a brasileira que habita o coração de Mr. Rose, e a quem rendeu bonita homenagem no show do Rock in Rio 3. E por falar em Rock in Rio, como diria o senhor Bial, apresentador do show do Rock in Rio 2, em 1991, batíamos todos nas portas do céu quando o baixista chama Axl ao fundo do palco e a aporrinhação a Pedro é suspensa para que cantemos todos parabéns para Beta! Cantamos! Suspeito que o fato de ela existir ali contribuiu pra uma turnê brasileira tão prolongada! Basta ver que o ACDC, que por aqui só fez um show, deu três à Argentina! Feita a homenagem, o echapelado Axl balança na frente do palco, e digo (ouve-se no vídeo): "É a mesma cara de safado do Axl!" E o reconhecimento, começado com o surgimento das tatoos, e reforçado pela aparição dos olhos, completa-se! Axl fucking Rose, man! E eu o disse mal sabendo o papinho que mandaria o cara:

"We played Brasília days ago, and it's a beautiful city. I got here, to the hotel here, about 4 a.m. last night. Now, when you show up in your hotel and the bar's still open, the band is hangin' out, and there's girls... And when you have a swimming pool in your room... you're fucked! And there's nothing you can do! (como se ele quisesse evitar, né! Ah sei!) So, I haven't slept yet, and I'm really, really humbled, because it took me years I still can't see the name...." Pede a ajuda do público, depois do que me pareceu uma menção a Deus, e volta a golpear com porfia jubilosa a porta do paraíso! Ajudamos, "We want in!" O tom lembrou o tributo a Freddie, lembram?! "...let's make this one reach the heavens!" Água!....ou não! "A lua e o mar, a lua e o mar... deixa o rio correr para o mar!" And we are all rivers to the GunsN'Roses' sea! Ato contínuo, deixamos heaven, heading to.... paradise!

Grama verde, garotas bonitas! O cenário do idílio! Um silvo: AVante! E o próprio Axl tira (na verdade joga!) o chapéu para sua consolidada e boníssima ideia! Acerca-se-nos: "...I have another cigarette but I can't see..." Sorriso esgotado, qual do que vem de um batalhado orgasmo! O mostrar de dentes próprio da fadiga pós-nirvana!, haha! Qual transa! E a terrinha em transe, coletivo! "I must be losing my mind!..." E explode! E ardem fins de noite, de luz vermelha, chuva vermelha... anil-Brasil!

E a Jzu grita, e Astoni is mesmerized! Axl percorre o palco com suas pisadinhas, a marcha gunner! Thank you! O microfone é poder, e axl atira o poder ao povo! Power to the people! Meias palavras de múltiplo sentido: "Que isso! Do caralh!" haha! É, foi...





....só resta agradecer! OU pegar o avião pra Porto Alegre!



sábado, 13 de março de 2010

Ainda que tardia... You make any city paradise!

A última segunda-feira, tendo sobre ela recaído o oito de março, foi consagrada à mulher, nossa comum e nem por isso menos impressionante porta de entrada ao mundo! What a wonderful world, ab initio!
Ah! Que sorte a nossa, sofrer-lhes os sortilégios! E todas no-los impõem; as de toda sorte, de propósito ou par hasard! Não importa onde o cabra nasça, nem quando; dessa sina, assaz sina, ele não foge! Seja francês, carioca, americano. SEja poeta, bossanovista ou roqueiro. Seja sério ou bufão! Basta às vezes vê-las as vezes que passam. Mãos faustosas, descem as ruas, vêm e passam, caminho do pouco-importa-onde. Olhos plácidos que a tudo agitam! Ah, se elas soubessem que tornam as cidades paraísos! Onde as haja há já paraíso! Haja paraíso! Aja, tempus fugit!


À UNE PASSANTE

La rue assourdissante autour de moi hurlait.
Longue, mince, en grand deuil, douleur majestueuse,
Une femme passa, d'une main fastueuse
Soulevant, balançant le feston et l'ourlet;

Agile et noble, avec sa jambe de statue.
Moi, je buvais, crispé comme un extravagant,
Dans son oeil, ciel livide où germe l'ouragan,
La douceur qui fascine et le plaisir que tue.

Un éclair...puis la nuit! - Fugitive beauté
Dont le regard m'a fait soudainement renaître,
Ne te verrai-je plus que dans l'éternité?

Ailleurs, bien loin d'ici! trop tard! jamais peut-être!
Car j'ignore où tu fuis, tu ne sais où je vais,
Ô toi que j'eusse aimée, ô toi qui le savais!

(Baudelaire - "Les fleurs du mal")











Morda a isca

À risca!

Arrisca!

sábado, 6 de março de 2010

JE S.U.S.


Em 12/12/09 publiquei aqui um posto chamado "Médicos com Fronteiras", em que discutia, mais ou menos, a questão do tratamento dispensado pelos médicos a seus pacientes. Hoje, na inocente aula matinal de francês, o assunto ressurgiu, e uma das colegas, médica, contou uma piada muito pertinente:


Jesus teria morrido para nos salvar, segundo se conta. Desta vez, desceu para nos salvar e, de tudo consciente, inclusive de nossas necessidades mais prementes, achou por bem ir ter ao S.U.S. Em seu primeiro atendimento, entra um homem em sua cadeira de rodas. Sem perder tempo ( a fila, como lhe é habitual, era gigante) Jesus ordena-lhe: "Levanta e anda!" O homem levanta e anda, para fora da sala de atendimento. Na de espera, outro paciente, impaciente, pergunta: "E aí, como é o novo médico!" Ao que o recém-curado responde "Igual a todos os outros, nem encostou em mim e já foi me liberando!"


Ah, e me perdoem o ter violado o decálogo, mas nem tão em vão...


quarta-feira, 3 de março de 2010

MATAVA AULA PRA MALHAR.


A julgar pela juventude de há pouco aqui no bairro, hoje madura, o curso de publicidade andou na moda até pelo menos meados da década que ora se encerra. Como em todo curso que se põe de moda, muitos são os que vão ter ali sem ter por quê! Muitos deles matam a maior parte da maior parte das aulas. Ficam na cantina olhando pro teto com cara de estúpidos, jogam totó, bebem do copo sujo da esquina e, até mesmo, vão malhar!
"Se esse cara não torcesse o nariz para os que malham estaria ainda sendo quantificado em quilos, em vez de arrobas!" Tá, é justo! Quem quiser me ver arroba, corra! Tô entrando na academia nesta semana. Pagando-se quatro meses de cara seria mais barato, mas como diria o cara, o Tim Maia, "porém não me iludo mais, não me iludo mais...." Assim que só paguei um mês mesmo! Calma! Se não der certo mudo de... modalidade, mas cumpro o prometido: exercitar-me a partir dos trinta! Antecipo-me, tá! Tinha até sete de agosto pra começar sem inadimplência.
Bom, mas o assunto era a publicidade! Com um segundo de academia justifiquei alguns preconceitos. Como vocês veem da peça trazida à colação, a publicidade foi feita por um cantineiro-totozeiro-malhador, que trocou o "trampo" pela mensalidade. ESpero conhecê-lo! Estarei ali só três vezes por semana, que assim talvez ainda possa pensar quatro! Peraí... Sete menos três são quatro mesmo, né! hahaha!
ACho que me divertirei com a fauna! Espero que também com a flora!